sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

MP PRA QUE?

 É com imenso prazer que escrevo esse texto explicando para você, jovem estudante, que ainda desconhece o que é essa tal de MP 746, que todo mundo fala. Primeiramente vou explicar o que é Medida Provisória (MP) e a mais falada do momento: a medida provisória que traz como ementa novas alterações na estrutura do ensino médio, que seria a última etapa da educação básica.
A MP é criada como o próprio nome diz, uma "medida provisória" tomada para alguns aspectos no senado federal, exemplo disso é a MP de nº 746 que traz como medida provisória novos conceitos para o ensino médio, alguns deles são focar na área técnica e implantar o ensino médio integral para todos os estudantes, aumentando sua carga horaria para 1.400 horas. Determina também que a língua portuguesa e matemática sejam obrigatórias e restringe a obrigatoriedade do ensino de arte, educação física à educação infantil e educação fundamental. Não podemos esquecer também que esta também restringe as matérias de educação social como filosofia e sociologia, tornando elas em uma só.
O currículo do ensino médio será composto pela Base Nacional Comum Curricular - BNCC e por itinerários formativos específicos definidos em cada sistema de ensino e com ênfase nas áreas de linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. Tudo isso e você deve estar pensando: "não é tão mau assim". Meu caro jovem, não é tão mau assim, é péssimo!
Antes de eu expor meu pensamento e tudo que acho sobre isso, entenda que é só a opinião de um estudante recém formado no ensino médio integral e que viveu seu ensino médio baseado numa prévia dessas medidas, ok!?
Primeiro essa MP dificilmente seria aprovada, pois ela é e já foi contestada juridicamente pelo STF... Se não me engano foi o ministro Barroso que, aliás foi nomeado pela ex presidente Dilma Rousseff, por se tratar de uma medida "PROVISÓRIA" logo ela viu que não havia urgência. Portanto, é de se esperar que não será votada tão cedo, se quer nessa gestão do Temer, o próximo presidente, caso seja da oposição, certamente vetaria a medida.
Mas no que mesmo essa medida nos afeta, estudantes? Bom, só por excluir as matérias de educação social já é de se desesperar, pois a escola não serve apenas para nos formar trabalhadores, mas sim seres pensantes que estejam ativos na sociedade e na política, e se for aceita, iremos estar formando apenas ferramentas de trabalho, que se formam e logo precisam trabalhar, sem ganhar oportunidades de faculdade ou bolsas, pois só estarão preocupados em ganhar seu diploma de ensino médio técnico.
Outra coisa: é só pôr a mão na consciência e pensar mesmo se o governo está preocupado na educação ou só no dinheiro que irá conseguir desviar, já que estamos também presenciando outro golpe com essa tal de PEC 55 que limita gastos na educação e saúde? Então galera, essa foi a mensagem que tentei deixar, explicar para quem não sabia o que é essa MP que tanto vai nos afetar e expressar a opinião de um recém formado no ensino médio que consegue ver os dois lados da moeda.

Fonte: ubes.org.br

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

ESTUDANTES DO USJ ORGANIZAM FESTA DE HALLOWEEN!

No dia 26 de outubro, a força dos estudantes do USJ ocupará a praça do kobrasol para celebrar o halloween e reivindicar o que lhes é direito: uma educação pública, gratuita e de qualidade.

Confira as atrações e confirme presença no evento

"Quarta-feira, dia 27 de outubro, a partir das 19h, vamos nos encontrar na praça para celebrar o halloween e debater sobre a manutenção e fortalecimento do USJ - Centro Universitário Municipal de São José."

Os organizadores do evento estão selecionando músicos e djs para possíveis apresentações e deixar a festa ainda mais animada. Caso queira divulgar seu grupo/música, favor entrar em contato com nossa redação pelo whatsapp 48 9955-7893!



quinta-feira, 6 de outubro de 2016

REINALDO TRAJANO: E ASSIM PERDEMOS UMA BOA OPORTUNIDADE!

E ASSIM PERDEMOS UMA BOA OPORTUNIDADE!

*Por Reinaldo Trajano

Se eu lhe disser:
Uma grande banda de Rock veio a São José para uma apresentação, porém após todos os ingressos vendidos, resolveu cancelar o show alegando excesso de público. O que você pensaria?
Os caras endoidaram não é verdade? Não tem lógica!
Vamos analisar o cancelamento da apresentação das propostas dos candidatos, que aconteceria no USJ, e foi cancelada pela reitoria.
Segundo a reitoria (em seu comunicado oficial) o cancelamento se deu devido ao grande número de inscritos, ou seja a grande procura.
Como os fatos não estão bem esclarecidos, isso deixa margens para especulação (dizer que o excesso de inscritos é um problema onde na verdade vejo sucesso, sinceramente custo a acreditar).
Vamos fazer aqui algumas suposições do que pode enfim ter ocorrido:
- Será realmente falta de espaço?
Temos um auditório que creio ser suficiente para acomodar um bom número de acadêmicos para tal evento, já ocorreram diversos eventos. Na eleição passada (para prefeito). Ocorreu um belo debate, não houve correria, ninguém foi pisoteado, além do que deu uma boa repercussão. A srª Adeliana ficou bem contente na época, quem acompanhou os fatos entende o que quero dizer.

- Será o Benedito?
Não não creio, desculpa aí foi mal Benedito!

- Será que foi capacidade técnica?
Um apresentação de propostas é bem mais simples de organizar do que um debate, afinal de contas basta estipular a ordem e o tempo que já é meio caminho andado, sendo que não haveria embate, tréplica e réplica seriam dispensadas. Será que a atual gestão não teria capacidade técnica para organizar, não sei, não creio nisso!

- Será que foi ordem ou medo da CHEFE? “Cancela esse negócio ai!”
Também é possível, tenho dúvidas se a sr Adeliana teria coragem de aparecer frente aos acadêmicos e prometer mais alguma coisa, depois de tantas promessa feitas – incluindo a sede própria no primeiro ano do seu mandato- e tantos descasos. Seria uma boa maneira de manter na inercia os acadêmicos afinal com a apresentação de propostas de outros candidatos ficaria visível o descaso com o USJ além de fornecer outros opções para os acadêmicos escolherem.
Nada posso afirmar, frente a falta de clareza o que faço são conjecturas. Seja lá o que realmente aconteceu o USJ perdeu uma excelente oportunidade de se destacar no município, além de oferecer a comunidade acadêmica um boa oportunidade de reflexão.



quarta-feira, 28 de setembro de 2016

NOTA SOBRE ATO EM DEFESA DO USJ

São José, 27 de setembro de 2016.

Em meio a tantos desagravos políticos, escândalos de corrupção, desmandos e desgovernos, acreditamos ser natural a descrença em qualquer ato político (o ato não foi político partidário) que venha ocorrer em favor de alguma instituição em época eleitoral. Essa mesma descrença foi demonstrada através de um ou outro comentário por alguns acadêmicos com relação ao ato em defesa do USJ. Acreditamos que seja necessário esclarecer alguns pontos levantados sobre este ato. Leia a seguir:

QUEM ORGANIZOU ESTE ATO? POR QUAL MOTIVO?
Esse ato foi organizado por acadêmicos/as de diversos cursos do USJ (além de ex-acadêmicos), e foi instigado devido as “trapalhadas” da atual gestão do USJ, no que tange retirada do “xerox”, demissão de uma professora por fazer questionamentos, falta de transparência nas decisões, fechamentos do curso de ciências da religião e a lista segue. Juntando isso com a indiferença da atual gestão da prefeitura com relação às demandas do USJ, eclodiu num ato em defesa da nossa instituição que até então permanece inerte frente as suas necessidades.

PORQUE APARECERAM ALGUNS CANDIDATOS?
Verdade alguns candidatos apareceram repentinamente (e sumiram tão repentinamente quanto apareceram), só eu contei três, quem dera aparecessem todos os candidatos a prefeito e vereadores, para pelo menos mostrarem algum respeito pelo USJ (coisa que alguns acadêmicos não tem). Foi um ato aberto qualquer um poderia aparecer (eles não receberam convite especial). Porém em nenhum momento foi permitido acesso ao microfone para esses candidatos, nem que portassem nenhuma bandeira partidária, ou fosse distribuído “santinhos de campanha” durante o ato, esse foi um movimento apartidário, e não servimos de trampolim para ninguém.

QUAL MOTIVO DE FAZER UM ATO DESSE EM ÉPOCA ELEITORAL?
Todos sabem que a atual administração prometeu que no primeiro ano do seu mandato teríamos sede própria, palavra de Adeliana, além de mais atenção. A não ser que um ano tenha mais de 365 dias, passou–se um, dois, três anos e nada de Sede própria, nem ao menos melhores condições para permanecermos na atual sede (emprestada). Por esse motivo um ato desses nesse momento político vem chamar a atenção da atual gestão e dos que concorrem a ela para a realidade do USJ, para mostrar que o USJ não morreu e que está apenas adormecido e representa sim uma força dentro de São José. Se esse ato tivesse ocorrido antes e mais vezes com maior participação dos acadêmicos as chances de sucesso seriam maiores (mas antes tarde do que nunca).

COMO FOI O ATO?
O ato teve início na praça Eugenio Raulino koerich, posteriormente foi realizado uma volta na sede convidando acadêmicos e professores para se juntarem ao ato, seguimos pelo kobrasol (acompanhados pela guarda municipal que fez a segurança) levando ao conhecimento dos josefenses a real situação do UJS, a caminhada foi tranquila recebemos o apoio de muitas pessoas, outras nem sequer sabiam da existência de uma universidade municipal em seu redor. Buscamos um trajeto que não atrapalhasse o transito e buscamos deixar um via disponível para que os motoristas pudesses seguir seu trajeto normalmente, a intenção foi mostrar as dificuldades do USJ sem, contudo, dificultar a vida dos outros.

AGORA TUDO VAI MUDAR?
Não podemos dizer que tudo mudará, ou que amanhã teremos notícias das melhorias para o USJ, nem contudo que a atual gestão do USJ vai agir de forma mais democrática (que afinal foi uma bandeira do então candidato a reitor Juarez) e mais competente. Porem, buscamos fazer nossa parte em defesa do USJ, mostrando que essa instituição carece de valorização e respeito daqueles que dizem ser seus representantes. O que esperemos é que essa semente plantada gere frutos para que assim como nós temos (ou tivemos) a oportunidade de cursar um ensino superior gratuito em SJ, outros da mesma forma possam ter essa oportunidade.

Se alguma dúvida restou, se algum questionamento ainda se faz, convido você a conversar com quem realmente participou do ato, para que uma luta legítima não se “afogue num mar” de descrença.

QUE UNIVERSIDADE QUEREMOS? E O QUE TEMOS FEITO PARA CONSTRUIR A UNIVERSIDADE QUE QUEREMOS?


terça-feira, 20 de setembro de 2016

DEBATE NO USJ: A PRAÇA PÚBLICA É ONDE A DEMOCRACIA ACONTECE

A ágora era o local utilizado para a realização das assembleias do povo e possuía papel importante na configuração da democracia e na política da cidade de Atenas, na Grécia antiga . Era o local, por excelência, da manifestação da opinião pública e do debate político. Foi em praça pública que o debate com os candidatos à Prefeitura de São José aconteceu, pois O evento de apresentação de propostas entre os candidatos à prefeitura de São José, organizado pelo USJ, na noite desta segunda-feira (19), foi cancelado. O encontro entre os prefeituráveis aconteceria no Auditório da Escola Maria Luiza de Melo e foi desmarcado. Diferentemente da proposta inicial, os estudantes e professores tiveram a oportunidade de exercer sua cidadania e puderam questionar as propostas dos candidatos Prof. Rafael Melo, Fernando Anselmo e José Natal. Os principais temas debatidos, foram: A desvalorização dos Servidores e falta de democracia.







Recomendado para você