sábado, 30 de maio de 2015

O que nós, membros da comunidade acadêmica, temos a comemorar?

Passados dez anos da criação do USJ, o que se percebe nesta Instituição é que ainda faltam muitos motivos para comemorações. Apesar da tão importante conquista de sua criação para a sociedade, ainda sim lidamos com o descaso dos governos e das reitorias em vários aspectos, principalmente no que diz respeito ao compromisso com esta Instituição de Ensino Superior que consideravelmente necessita de uma estrutura acadêmica de qualidade para seu melhor funcionamento.

Sem autonomia política, administrativa e pedagógica, o USJ se tornou uma Instituição peregrina que  rodou por diversos cantos da cidade até se instalar, de maneira precária, no Colégio Maria Luiza de Melo. E a realidade de hoje é que ainda vive sob ameaça iminente de, mais uma vez, ser transferido para um prédio provisório, em local afastado e de difícil acesso, de propriedade da Univali, localizado no bairro Sertão do Maruim.

Em meio a este cenário de descasos, incertezas e falta de uma Gestão Democrática, efetiva, participativa, representativa e transparente, o medo, a insegurança e também a opressão, de maneira reiterada e intencional, é o que vem ao longo do caminho desestimulando o aprendizado de muitos acadêmicos.

O USJ vem sendo instrumento de “politicagem” dos governos que se beneficiam com promessas que visivelmente não estão sendo cumpridas na Instituição como um todo. A falta de uma estrutura física e material impede o funcionamento efetivo desta Instituição tão importante para a sociedade, que atualmente encontra-se com uma biblioteca desatualizada e por isso inadequada à demanda acadêmica, sem laboratórios com tecnologias importantes e necessárias para ampliar estudos e pesquisas, sem equipamentos de multimídias que poderiam facilitar e mediar o processo de ensino e aprendizagem, ou seja, quase nada de acessibilidades para inovar o conhecimento.

E já que estamos falando de uma Instituição de Ensino Superior, isto é muito sério e preocupante!

Ainda há de se destacar e preocupar com o andamento das questões administrativas em que nada evoluem para potencializar a educação no USJ, como faltam salas de orientação e de atividades administrativas; faltam perspectivas de desenvolvimento para o ensino de qualidade; faltam apoio e incentivos eficientes para o campo de pesquisa e extensão; não há gestão democrática e os estudantes e professores não têm qualquer poder de decisão dentro da instituição.

Destacando isso tudo, ainda persistem os problemas recorrentes nos planos de cargos e carreira dos docentes que se mostram desmotivados com salários incompatíveis, sem a legal proporcionalidade entre professores efetivos e substitutos, e como se não bastassem tantos problemas ainda ouvimos e nos deparamos com as falsas promessas de melhorias e mudanças para este tão trágico quadro que vem perdurando e aumentando a cada ano de vida real da nossa estimada USJ.


Refletimos então sobre o que pretendemos comemorar desses 10 anos de existência de USJ, e ainda fica o convite para reflexão do que se pode buscar para comemorar a sobrevida desta instituição.

0 comentários:

Recomendado para você