sexta-feira, 22 de abril de 2016

NOTA DO MOVIMENTO DE LUTA PELO CURSO DE CIÊNCIAS DA RELIGIÃO - USJ

Confira na íntegra a nota oficial do Movimento de luta pelo curso de ciências da religião - USJ.


"Antes que espectros nos rondem, cabe esclarecer: nossa luta se estende há mais de 3 anos. Com a gestão anterior, e com a gestão atual, e diretamente com a FUNDESJ já protocolamos sugestões, fizemos inúmeras reuniões e os resultados de cada uma delas foram ora decisão de não abrir vestibular, ora decisão de não convocar a turma de 37 aprovados, ora o escárnio de dizer que não abriria ainda que fossem 100 aprovados. Sim, são 37 aprovados. A quem ainda tem dúvidas e não leu edital e regimento, temos seguidamente esclarecido – 18 aprovados pela cota de 70% e 19 pela cota de 30% que poderiam ser convocados em segunda chamada.
O processo seletivo simplificado é previsto no Regimento USJ que prevê essa modalidade de ingresso para vagas remanescentes (art. 126). Acho desnecessário esclarecer que 3 anos sem abertura de turma configuram vagas remanescentes.
Também é dever da administração zelar pelo bom andamento de todos os cursos da instituição, se ela tão apressadamente concluiu que o curso não é rentável (argh...) deveria ser, pela posição que ocupa, a primeira a se empenhar para mudar o quadro.
Portanto, empreendemos todos os meios de diálogo – tivemos bastante tempo para isso em 03 anos.
Nosso movimento extra-muros agora visa a informar à população sobre o risco que corre essa importante conquista que é o ensino superior municipal. Informar sobre a resistência que tende ao fechamento do Curso de CR, que se estenderá para outras Licenciaturas, que se estenderá para cursos muito longos, que ao final culminará no fim da instituição como são recorrentes os boatos desde a sua fundação.
Queremos a manutenção dos cursos que existem, queremos novos cursos, queremos sede própria, queremos que cada estudante de ensino médio dessa cidade reconheça o ensino superior municipal como uma possibilidade real na sua vida acadêmica. É para isso que se justifica um centro universitário municipal – que ele esteja mais próximo da comunidade.
Sim, estamos em aula. À quem duvida que estejamos em constante processo de aprendizado nesse movimento, seguem fotos da nossa assembleia na praça. Ali, na praça, onde a vida acontece. Onde a disposição circular e sem muros nos força a ver o outro, a tirar os olhos dos nossos umbigos.
Não lutamos por nós, sabemos que a nossa conclusão está garantida por lei, e embora cumprir a lei não seja um hábito para todos, não temos dúvidas quanto a isso. Lutamos por quem virá, por quem não sabe que existe um centro universitário no/do município, pelo debate mais do que necessário das implicações da religião na vida social e no espaço público, lutamos inclusive por quem acha o movimento barulhento e/ou desordeiro, e também por quem não entende a existência de um Curso de Ciências da Religião.
Nossa intenção é informar, é fazer conhecer. É permitir ao sujeito que, munido de todas as facetas de uma questão, esteja habilitado a pensar sobre ela e formar sua opinião.
E pensar é um processo demorado, penoso, que envolve estudo e análise rigorosa.
Então, convidamos a todos que têm dúvidas que nos questionem diretamente, com a abertura ao diálogo digna dos seres de razão que somos.

Estaremos sempre dispostos a ajudar e a crescer juntos."



0 comentários:

Recomendado para você